Asma é uma doença que causa muitas internações; veja como evitar o problema

Falta de ar, tosse e chiado ao respirar. Esses são os sintomas clássicos da asma, doença inflamatória crônica que atinge mais de 6 milhões de adultos no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, o problema está entre as principais causas de internações no Sistema Único de Saúde (SUS), com cerca de 120 mil casos ao ano.

A asma pode surgir em qualquer idade. Porém, é mais comum que se inicie na infância. Ela é provocada por uma inflamação crônica das vias aéreas, que pode ocorrer devido a alergias respiratórias, predisposição familiar ou após uma infecção pulmonar grave.

Quando a asma se manifesta, há uma diminuição das vias respiratórias, por isso a dificuldade de respirar. “Os músculos ao redor das paredes das vias aéreas se contraem, estreitando a passagem do ar, o revestimento das vias aéreas se inflama e começa a inchar e há uma produção excessiva de muco, o que ajuda a diminuir o diâmetro dessas vias”, explica Jairo Netto Costa, pneumologista do Hospital Assunção, da Rede D’Or São Luiz.

Segundo Cícero Matsuyama, otorrinolaringologista do Hospital CEMA, em São Paulo, o tratamento da asma consiste basicamente em prevenir e controlar crises agudas, com o uso de medicações orais ou inalatórias. A doença não tem cura, mas você pode minimizar o número de crises e ter uma vida normal com ações simples no dia a dia, como mostramos a seguir.

A doença não impede a prática de atividades físicas, e o exercício aeróbico, como corrida, natação e ciclismo, melhora a condição respiratória do paciente. Mas o treino precisa ser feito na dose certa. “O exercício em excesso pode ter efeito contrário e até desencadear crises. Por isso, é importante definir junto com um médico a melhor modalidade e a intensidade do treino”, orienta Paulo Pitrez, coordenador institucional de Pesquisa do Hospital Moinhos de Vento e Pneumologista Pediátrico do Hospital São Lucas da PUCRS (Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul).

A asma alérgica, mais frequente na população em geral, é provocada por mofo, ácaros do pó, penas e pelos de animais. “Por isso, é muito importante manter a casa sempre bem arejada e limpa, além de evitar contato com tapetes, bichos de pelúcia e outros itens que costumam acumular poeira”, aconselha Angela Honda, diretora médica da AstraZeneca Brasil.

O excesso de peso dificulta o controle da doença por interferir na capacidade de respirar e no metabolismo. “A gordura no corpo (tecido adiposo) produz substâncias que agravam inflamações em estruturas do pulmão”, alerta Pitrez.

Não é preciso dizer que quem tem asma –ou qualquer problema respiratório — deve evitar o fumo ativo e passivo, certo? Procure também controlar a ansiedade e o estresse, já que eles podem desencadear uma crise de asma não alérgica, que é mais grave. Atividade física, meditação, dança e técnicas de respiração são uma boa para aliviar a tensão do dia a dia.

 

Por UOL – Viva Bem

Clique para ver a MATÉRIA NA ÍNTEGRA.